terça-feira, 29 de outubro de 2013

ENEM - COMENTÁRIOS DAS QUESTÕES 2013

COMENTÁRIOS DAS QUESTÕES DE GEOGRAFIA DO ENEM - 2013












Professor Kléber Caverna

.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

DICAS SOBRE A PRIMAVERA ÁRABE

DEZ DICAS SOBRE DE ATUALIDADES – KLÉBER CAVERNA

DICA Nº 08
TEMA: A PRIMAVERA  ÁRABE





1-O nome Primavera Árabe pode ser explicado de várias formas, quando olhamos para o passado.. Em outros momentos históricos da humanidade movimentos de rebelião varreram governos opressores, porém cada um deles deve ser entendido dentro de seu contexto, foi o caso das Independências na América Espanhola (primeira metade do século XIX).O termo primavera aparece pela primara vez em 1848, coma a chamada “Primavera dos Povos”(  novas correntes políticas que surgiam em todo o Velho Mundo e se mostravam decididas a dar fim ao regime monárquico) e depois já em 1968 com a “Primavera de Praga”( movimento dos intelectuais reformistas do  Partido Comunista Tcheco, cujo objetivo era modificar as estruturas políticas, econômicas e sociais naquele país).


2-A Primavera Árabe teve sua gênese na Tunísia, sendo um movimento de populações oprimidas por governos que ao longo de décadas atenderam aos interesses imperialistas e mantiveram um silencio forçado a custa de muita opressão política.


3-Um fato que marcou o início da Primavera Árabe foi o que envolveu o jovem tunisiano Mohamed Bouazizi que ateou fogo ao próprio corpo ,como forma de protesto,contra a apreensão de suas mercadorias e pela falta de perspectivas de vida, que atinge a maioria dos jovens do mundo árabe, demonstrando ao mundo que aquela medida extrema era um grito de desespero frente a uma realidade muito mais ampla, de um contexto em que a auto – imolação sendo a única forma de se fazer ouvir, mesmo que a custa da própria vida..O seu gesto não passou despercebido, e o mundo assistiu a mais extraordinária sequência de  manifestações em vários países do mundo árabe.


4-Mohamed foi internado com 90% do corpo queimado, e sua históra começou a circular na Tunísia. Virou o representante de um povo humilhado por 23 anos de ditadura e repressão e indignado, o povo foi às ruas, e por mais de duas semanas enfrentou a polícia em diversas cidades do país. Quando morreu, no dia 4 de janeiro de 2011, 18 dias depois, virou um mártir. A revolução já havia explodido. No dia 14 de janeiro o então presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, foi obrigado a deixar o poder e fugir para Arábia Saudita.


5-A Primavera Árabe se destacou pela inovação no uso das redes  sociais na organização dos protestos( Facebook, Twitter,MSN); pela participação da rede de TV Al Jazeera, na cobertura dos movimentos; pelo uso de sistemas de telefonia celular para a delação dos envolvidos nos protestos.

6-Foram verificados levantes após a Tunísia, foram verificados levantes na/em:
• Argélia (governada até hoje sob estado de Emergência)
• Líbia (Ditadura de Muammar Khadafi)
• Jordânia
• Iêmen (Presidente Saleh é retirado do poder)
• Arábia Saudita
• Líbano
• Egito (então governado por Hosni Mubarak)
• Síria (O governo de Bashar al-Assad ainda promove dura repressão)
• Também houve revoltas na Palestina, Omã, Mauritânia, Marrocos,        Djibuti, Barein, Iraque e Kuwait.


7-No Egito A Primavera também ficou conhecida como “Dias de Fúria, Revolução de Lótus e Revolução do Nilo”. Foi marcada pela luta da população contra a longa ditadura de Hosni Mubarak, no poder desde 1980. Os protestos se iniciaram em 25 de Janeiro de 2011 e se encerraram em 11 de Fevereiro do mesmo ano. Após a onda de protestos, Mubarak anunciou que não iria se candidatar novamente a novas eleições e dissolveu todas as frentes de estruturação do poder. Em Junho de 2011, após a realização das eleições, Mohammed Morsi foi eleito presidente egípcio, porém, também foi deposto no ano de 2013.

8-A Primavera também chegou a Líbia, ficando conhecida como a “Guerra Civil Líbia ou Revolução Líbia” e ocorreu sob a influência das revoltas na Tunísia, tendo como objetivo acabar com a ditadura de Muammar Kadhafi. Em razão da repressão do regime ditatorial, essa foi uma das revoluções mais sangrentas da Primavera Árabe. Outro marco desse episódio foi a intervenção das forças militares da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), comandadas, principalmente, pela frente da União Europeia. Ao  final de tudo, o ditador líbio foi morto após intensos combates com os rebeldes no dia 20 de Outubro de 2011.

9-Na Síria os protestos ainda continuam em curso e já são classificados como Guerra Civil pela comunidade internacional. A luta é pela deposição do ditador Bashar al-Assad, cuja família encontra-se no poder há 46 anos. Há a estimativa de quase 20 mil mortos desde que o governo ditatorial decidiu reprimir os rebeldes com violência. Tanto a ONU como a comunidade tentam promover a deposição da ditadura e dar um fim à guerra civil, entretanto, as tentativas de intervenção no conflito vêm sendo frustradas pela Rússia e a China, que tem poder de veto no Conselho de Segurança da ONU e muitos interesses na manutenção do poder de Assad. Nesse meio tempo, o governo sírio utilizou de armas químicas , jogando gás sarin em seus opositores atingindo várias pessoas inocentes.

10-A Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), organização que recebeu o Prêmio Nobel da Paz de 2013), juntamente com a ONU ,estão supervisionando a destruição do arsenal químico sírio desde o início do mês de outubro de 2013.


Prof. KléberCaverna


.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

POLÍCIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL - AÇÕES E PROGRAMAS









Prof. Kléber Caverna


.

DICAS SOBRE DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS DO BRASIL

DEZ DICAS DE ATUALIDADES – KLÉBER CAVERNA

DICA Nº 07
TEMA: AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS DO BRASIL




1- DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS : consistem na representação da combinação de um conjunto de elementos da natureza – relevo, clima, vegetação – que se interrelacionam e interagem, formando uma unidade paisagística. O geógrafo Aziz Ab’Saber foi o responsável por fazer essa classificação em nosso país e segundo seus estudos o Brasil possui seis grandes domínios morfoclimáticos: Domínio Amazônico; Domínio dos Cerrados; Domínio dos Mares de Morros; Domínio das Caatingas; Domínio das Araucárias. Além dos domínios morfoclimáticos, existem as chamadas faixas de transições que ficam entre esses domínios , onde são encontradas características de dois ou mais domínios morfoclimáticos. Algumas dessas faixas conhecidas são o Pantanal, o Agreste, o Mangue e a Mata dos Cocais.

2- Domínio Amazônico:  está  situado na região Norte do Brasil, é formado, em sua maior parte, por terras baixas, seu  relevo formado essencialmente por depressões, originando os baixos planaltos e as planícies aluviais, predominando o processo de sedimentação, com um clima equatorial quente e úmido numa região de baixa latitude, apresenta médias térmicas mensais elevadas que variam de 24 °C a 27 °C. A amplitude térmica anual é bastante baixa (oscilações inferiores a 2 °C) e os índices pluviométricos  são extremamente elevados, de 1 500 a 2 500 mm ao ano, chegando a atingir 4 000 mm; o período de  estiagem é bastante curto em algumas áreas. Os solos são de baixa fertilidade(plintossolo,cambissolo e latossolo).
3-Domínio Amazônico: apresenta uma floresta com as seguintes características: Latifoliada: com vegetais de folhas largas e grandes/ Heterogênea: apresenta grande variedade de espécies vegetais, ou grande biodiversidade/ Densa: bastante compacta ou intrincada com plantas muito próximas uma das outras/  Perene: sempre verde/ Higrófila: com vegetais adaptados a um clima bastante úmido/Hidrófila: vegetais adaptados ao ambiente aquático/Heliófila: vegetação que necessita de muita luz solar/ Umbrófila: plantas adaptadas a muita sombra, no interior da floresta/Ombrófila:floresta pluvial que é adaptada a muita umidade

4-Domínio Amazônico: pode ser dividida em três tipos básicos ou florestais :
Caaigapó: ou mata de igapó, localizada ao longo dos rios nas planícies permanentemente inundadas. São espécies do Igapó a vitória-régia, piaçava, açaí, cururu, marajá, etc.
Mata de várzea: localizada nas proximidades dos rios, parte da floresta que sofre inundações periódicas. Como principais espécies temos a seringueira (Hevea brasiliensis), cacaueiro, sumaúma, copaíba, etc.
Caaetê: ou mata de terra firme, parte da floresta de maior extensão localizada nas áreas mais elevadas (baixos planaltos), que nunca são atingidas pelas enchentes. Além de apresentar a maior variedade de espécies, possui as árvores de maior porte. São espécies vegetais do Caaetê o angelim, caucho, andiroba, castanheira, guaraná, mogno, pau-rosa, salsaparrilha, sorva, etc.

5-Domínio dos Cerrados: encontra-se  principalmente no planalto Central,sendo constituído por terrenos cristalinos, bastante desgastados, e por terrenos sedimentares que formam as chapadas e os chapadões. As árvores de pequeno porte, com troncos e galhos retorcidos, cascas grossas e raízes profundas, denotam raquitismo e lençol freático profundo. Predominam os solos pobres e bastante ácidos (pH abaixo de 6,5), bastante lixiviados e laterizados, que, para serem utilizados na agricultura, necessitam de corretivos(ex: calagem). O principal clima é o tropical semi-úmido; com duas estações do ano bem definidas, uma chuvosa (verão) e outra seca (inverno).As médias térmicas são elevadas(entre 20 °C a 28 °C) e os índices pluviométricos variam em torno de 1 500 mm. É subdividido em: Ceradão;Cerrado Típico;Campo sujo e Campo Limpo,Mata Galeria e/ou Ciliar, Veredas e a Vegetação Rupestre

6-Domínio dos Mares de Morros: situa-se na zona costeira atlântica brasileira, onde predomina o relevo de mares de morros e alguns chapadões florestados, como também a quase extinta Mata Atlântica.O solo em na porção nordestina é o massapé sendo que para o sudeste   aparece a terra roxa.  O predomínio do clima tropical úmido, sendo que na Zona da Mata Nordestina, as chuvas concentram-se no outono e inverno e na  região Sudeste, devido a maiores altitudes, o clima é o tropical de altitude, com médias térmicas anuais entre 14 °C e 22 °C. As chuvas ocorrem no verão, que é muito quente. No inverno, as médias térmicas são mais baixas, por influência da altitude e da massa de ar Polar Atlântica (mPa). A principal paisagem vegetal desse domínio era, originariamente, representada pela mata Atlântica ou floresta latifoliada tropical.


7-Domínio das Caatingas: o relevo erodido, destacando-se o maciço nordestino e a hidrografia intermitente.O clima é o tropical  semi-árido, com temperaturas elevadas, chuvas escassas e irregulares. O período chuvoso no Nordeste “seco” é denominado pelo sertanejo de “inverno”. O interior do planalto Nordestino é uma área em processo de pediplanação, predominando o intemperismo físico(variação de temperatura) e ação dos ventos (erosão eólica), que vão aplainando progressivamente o relevo.Podemos encontrar os  inselbergs, que são morros residuais, compostos normalmente por rochas cristalinas.Os solos são, geralmente, pouco profundos devido às escassas chuvas e ao predomínio do intemperismo físico. A paisagem arbustiva típica do Sertão Nordestino, que dá o nome a esse domínio geoecológico, é a caatinga(caa = mata; tinga = branco), possui grande heterogeneidade , com a presença de mata rala ou aberta, com muitos arbustos e pequenas árvores e  os vegetais xerófilos, como as cactáceas (mandacaru, facheiro, xique-xique, coroa de frade etc.) e as bromeliáceas (macambira).


 8-Domínio das Araucárias: encontra-se no Sul do país, com predomínio de planaltos e formação de araucárias. Ocupa áreas pertencentes ao Planalto Meridional do Brasil; as altitudes variam entre 800 e 1 300 metros; o solo é composto por terra roxa no Paraná e o brunossolo em boa parte do domínio. O clima predominante o subtropical. Predomínio da floresta aciculifoliada subtropical ou floresta das Araucárias com as seguintes características gerais: folhas em forma de agulha (aciculifoliadas)/Ocupam principalmente os planaltos meridionais do Brasil/Não é uma floresta homogênea porque possui manchas de vegetais latifoliados, porém com uma biodiversidade menos numerosa/É  uma formação vegetal menos densa e atualmente está intensamente devastada.


9- Domínio das Pradarias: também conhecido como domínio das coxilhas (relevo com suaves ondulações) ou como Campanha Gaúcha ou Pampas, situa-se no extremo Sul do Brasil, no estado do Rio Grande do Sul, constituindo-se em um prolongamento dos campos ou pradarias do Uruguai e Argentina pelo território brasileiro. O clima é subtropical com temperatura média anual baixa, devido a vários fatores, destacando-se a latitude e a ocorrência de frentes frias (mPa).Sua vegetação é caracterizada pelos Campos Limpos ou Pampas, onde predominam gramíneas, cuja altura varia de 10 a 50 cm aproximadamente. É a vegetação brasileira (natural) mais favorável à prática da pecuária, tradicional atividade dessa região. O solo apresenta boa fertilidade natural e a formação de areais e campos de dunas no sudoeste do Rio Grande do Sul . É importante darmos destaque ao fato que a utilização do conceito de desertificação é considerado inadequado para a região, porque ela não apresenta um clima árido ou semi-árido, como também não existem evidências de que o processo estaria alterando o clima regional, sendo assim o termo mais indicado, segundo especialistas, é arenização.


10-Faixas de Transição: Entre os seis domínios morfoclimáticos existem as faixas de transições. Nessas faixas são encontradas características de dois ou mais domínios morfoclimáticos. Algumas conhecidas são o Pantanal, o Agreste e os Cocais.


Prof. Kléber



.

sábado, 12 de outubro de 2013

ARTIGO 144 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL – DA SEGURANÇA PÚBLICA



Título V
Capítulo III




Art. 144 - A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:


I - polícia federal;
II - polícia rodoviária federal;obs.dji.grau.3: Competência da Polícia Rodoviária Federal - D-001.655-1995
III - polícia ferroviária federal;
V - polícias militares e corpos de bombeiros militares.


§  - A polícia federal, instituída por lei como órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se a: (Alterado pela EC-000.019-1998)


I - apurar infrações penais contra a ordem política e social ou em detrimento de bens, serviços e interesses da União ou de suas entidades autárquicas e empresas públicas, assim como outras infrações cuja prática tenha repercussão interestadual ou internacional e exija repressão uniforme, segundo se dispuser em lei;


II - prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o contrabando e o descaminho, sem prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreas de competência;


III - exercer as funções de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras; (Alterado pela EC-000.019-1998)
IV - exercer, com exclusividade, as funções de polícia judiciária da União.

§ 2º - A polícia rodoviária federal, órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das rodovias federais. (Alterado pela EC-000.019-1998)

§ 3º - A polícia ferroviária federal, órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das ferrovias federais. (Alterado pela EC-000.019-1998)


§ 4º - Às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares. 


§  - Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil.


§ 6º - As polícias militares e corpos de bombeiros militares, forças auxiliares e reserva do Exército, subordinam-se, juntamente com as polícias civis, aos Governadores dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios.


§  - A lei disciplinará a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, de maneira a garantir a eficiência de suas atividades.


§ 8º - Os Municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei.

§ 9º A  remuneração dos servidores  policiais integrantes dos órgãos relacionados neste artigo será fixada na forma do § 4º do Art. 39. (Alterado pela EC-000.019-1998)



pROF. Kléber Caverna


.


sábado, 5 de outubro de 2013

DICAS SOBRE AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA INDÚSTRIA NO BRASIL

 DEZ DICAS SOBRE DE ATUALIDADES – KLÉBER CAVERNA

DICA Nº 06
TEMA: AS PRINCIPAIS CARACTERÍTICAS DA INDÚSTRIA NO BRASIL



1- Com a crise de 1929 e a falência da economia cafeeira em decorrência desse fato, a infraestrutura  cafeeira(portos,rodovias, galpões,bancos,mão de obra, ferrovias etc) migram para a indústria que Getúlio Vargas estava incentivando e a região Sudeste sai na frente exatamente por se tratar do local onde o café era dominante. Portanto, a economia cafeeira deu as bases para nossa industrialização, com a acumulação de capital necessário para o processo, a criação de infra-estrutura, a formação de mercado de consumidor e com a mão de obra utilizada, especialmente os migrantes europeus não portugueses, como os italianos.

2-No governo de JK, se dá a abertura ao capital internacional, representado pelas empresas multinacionais e pelos enormes empréstimos para o estabelecimento de infra estrutura e de grandes obras como a construção da capital federal no centro do país, no planalto central, Brasília.Durante a ditadura militar, o Plano de metas de JK é continuado, grandes projetos são estabelecidos, a economia do país chega a tornar-se a oitava do mundo.De 1968 até 1973, vivemos o chamado milagre brasileiro que chega ao fim com as crises do petróleo.Com o final do período militar, veio os governos pós ditadura.Durante os anos oitenta vivemos a chamada ‘Década Perdida” e somente na década de 1990, com o Plano REAL ,conseguimos estabilizar nossa economia.A partir da década de 1990 o neoliberalismo chega de vez em nosso país, e da emergência das ideias neoliberais, o processo de industrialização do país toma novo rumo, com a privatização de grande parte das estatais e da abertura cada vez maior da economia do país ao capital internacional, além da retirada de direitos trabalhistas históricos.

3-Desda a década de 1990 que começaram a acorrer mudanças espaciais na distribuição atual das indústrias no país, pois desde o início da industrialização, a tendência foi de concentração espacial no Centro-sul, especialmente em São Paulo, isso fez com que esse estado se torna-se o grande centro da economia nacional e em decorrência disso recebesse os maiores fluxos migratórios, mas o que se verifica atualmente é que a tendência mundial atual de desconcentração industrial também tem acontecendo de forma cada vez mais constante no  Brasil, pois localidades do interior de São Paulo, do Sul do país e até mesmo estados nordestinos começam a receber industrias que em outros tempos se dirigiriam sem sombra de dúvidas para a capital paulista.

4-Essa nova situação deve-se em especial a globalização da economia que tem acirrado a competição entre as empresas, que com isso buscam a redução dos custos de produção buscando produzir onde é mais barato. Essa nova conjuntura tende a redesenhar não apenas o espaço industrial brasileiro, mas de várias áreas do mundo. O mais interessante no caso brasileiro, é que ele não tem enfraquecido o papel de São Paulo como cidade comandante da economia nacional, mas pelo contrário fortalece, pois o que se desconcentra é a produção e não a decisão.

4-é importante observarmos que dentro da Região Sudeste há uma tendência de saída do ABCD Paulista, buscando menores custos de produção do interior paulista, no Vale do Paraíba ao longo da Rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo à Belo Horizonte. Estas áreas oferecem, além de incentivos fiscais, menores custos de mão-de-obra, transportes menos congestionados e por tratarem-se de cidades-médias, melhor qualidade de vida, o que é vital quando trata-se de tecnopólos.

5-A desconcentração industrial entre as regiões vem determinando o crescimento de cidades-médias dotadas de boa infra-estrutura e com centros formadores de mão-de-obra qualificada, geralmente universidades. Além disso, percebe-se um movimento de indústrias tradicionais, de uso intensivo de mão-de-obra, como a de calçados e vestuários para o Nordeste, atraídas sobretudo, pela mão-de-obra extremamente barata.

6-Para entendermos como funcionam nossas indústrias, caba o esclarecimento de alguns conceitos básicos, tais como as suas classificações em:
-Indústrias de base( são aquelas que produzem bens que dão a base para o funcionamento de outras indústrias, ou seja, as chamadas matérias primas industrias ou insumos industriais, como o aço),
-Indústrias de bens de capital ou intermediárias( aquelas que produzem equipamentos necessários para o funcionamento de outras indústrias, como as de máquinas),
-Indústrias de bens de consumo(são aquelas que produzem bens para o consumidor final, a população comum, sendo que  elas subdividem-se em: bens duráveis, ou seja, as que produzem bens para consumo a longo prazo, como automóveis e as de Bens não duráveis,  produzem bens para consumo em geral imediato, como as de alimentos).

7- Outro ponto interessante para se ter um direcionamento para a economia indústria , são os fatores locacionais, ou seja, as vantagens que um determinado local pode oferecer para a instalação de uma indústria, tais como: Matéria prima abundante e barata;Mão de obra abundante e barata;Energia abundante e barata;Mercados consumidores;Infra estrutura;Vias de transporte e comunicações;Incentivos fiscais;Legislações fiscais, tributárias e ambientais amenas.

8-O papel das multinacionais ou transnacionais também é importante a ser destacado.A partir do final do século XlX, começam a surgir os primeiros trustes (modalidade de concentração e centralização do capital), os quais dão origem a empresas multinacionais, que correspondem aquelas que se expandem para além das fronteiras onde surgiram, algumas tornando-se verdadeiras empresas globais, como é o caso da Coca-cola.A grande arrancada das multinacionais em direção dos países subdesenvolvidos se deu a partir do pós 2ª Guerra mundial, quando várias empresas dos EUA, Europa e Japão, passaram a se aproveitar das vantagens locacionais oferecidas por esses países.

9-Em nosso país a chegada das grandes multinacionais se deu, principalmente a partir do governo de JK, que abriu a economia nacional ao capital internacional proporcionando grande internacionalização da economia, por outro lado também beneficiou multinacionais como por exemplo na opção pela via rodoviarista de transportes para o Brasil, que naquele momento atraiu várias multinacionais produtoras de automóveis, mas que condenou os brasileiros a pagarem os custos mais elevados desse tipo de transporte.Hoje a presença delas no Brasil é muito intensa e numerosa, elas sendo responsáveis por grande parte da drenagem de capitais que saem do país através das remessas de lucros.

10- A redução de instalações e capacidade industrial de um país é caracterizado como desindustrialização. A desindustrialização está envolvida com as mudanças sociais e econômicas resultante da macroeconomia. A partir do momento que um  país torna-se menos competitivo e mais caro para produzir algum bem, corre o risco de iniciar um processo de desindustrialização.A desindustrialização torna-se mais grave quando um país ou região sofre a perda de atividade na indústria transformadores. Os fatores da desindustrialização começaram a ser percebidos no Brasil a partir dos anos 2010, quando a  valorização do real e invasão dos produtos chineses no país desequilibrou o ritmo produtivo de nossas indústrias para o mercado interno e externo. A não produção de bens também gera atrofia na capacidade tecnológica de um país, o tornando dependente da plataforma produtiva de outros países, seja a mesma instalada em outro país ou em parte em seu território.


Prof. Kléber