segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

AMAZÔNIA

Vou expor aqui um pouco de minhas andanças por Manaus e pela Floresta  Amazônica:




 Vejam como é bonita a arquitetura da cidade



O contraste entre o céu e o espaço urbano
 O céu se preparando para mais uma tarde de chuva de convecção

Numa mesma imagem, a cidade, o rio a floresta e o céu de Manaus 


A floresta urbana 


  A ponte que atravessa o rio Negro


Uma visão do alto do hotel , mostrando a cidade de Manaus 


 O teatro Amazonas , do lado de fora
A frente do teatro Amazonas 


Dentro do teatro Amazonas



Barcos no Rio Negro 


Cais que dá acesso aos barcos que irão viajar pelo rio Amazonas

 Passageiros quer irão viajar até Santarém, preparando suas redes de dormir.

Passageiros esperando a hora do barco sair pela longa jornada 


A disputa territorial por um espaço para por a rede  


Cais de Manaus repleto de barcos 


Área de acesso ao porto de Manaus 


Impróprio para menores, kkkkkkkkkkkkkk 


Nesse lugar eu não passaria nem perto, está cheio de sucuris 


Macaco e suas macaquices, muito interessante. 


Uma pantera negra muito linda, pena que estava muito triste naquele ambiente. 



Enfrentando a onça pintada, kkkkkkkkkkkk


o pôr do Sol de Manaus, maravilhoso


Mais um pouquinho do pôr do Sol


Este é o marcador das enchentes do rio Negro, com as datas e até onde o rio atingiu. 


Preparando para navegar nos rios Negro e Solimões


 Esse é um navio de luxo que leva os turistas para viagens no Amazonas

 Engraçado, um posto de gasolina para barcos no meio do rio

E o mais incrível é que a gasolina está mais barata que aqui em Brasília, kkkkkkkkkk 


 Veja onde está este posto de gasolina

Uma vista da cidade de Manaus de dentro do barco que eu estava navegando 


 Uma imponente ponte que atravessa o Rio Negro


Nessa foto, dá a impressão que lá ao fundo, está vindo um tsuname, mas é apenas o céu. 


Nessa foto eu estou dentro de uma tribo indígena 


 Ritual indígena

A dança de boas vindas

Quase virei um índio 



Uma das coisas que faz o Rio Negro ser negro são essas folhas  e  pequenos galhos que depositam grande quantidade de ácidos , dando essa cor de chá preto.Por outro lado, como o seu leito é antigo e sofre pouca modificação no seu percurso, não sai retirando grande quantidade de terra que poderia dar-lhe outra cor, como é o caso do rio Solimões que é mais jovem e tem um leito muito mais dinâmico e jovem. 


Esse vegetação é o CAÁ-IGAPÓ, que fica em uma área constantemente inundada, com vegetação hidrófila, ou seja, adaptada a presença de água.



Desmatamento nas margens do rio Negro, uma judiação. Essa região é conhecida como mata de VÁRZEA, e é periodicamente inundada quando o rio enche.

Essa parte da floresta é a TERRA FIRME( CAÁ-ETÊ), onde as águas dos rios não alcançam, com um vegetação predominantemente higrófila(adaptada a muita umidade) 



Um encontro inusitado com o Boto cor de rosa, fiquei maravilhado. 


Muito bacana mesmo, recomendo esse momento a quem vier a Amazônia


Uau, sensacional
Fiquei igual a uma criança ao lado do Boto 


Indescritível mesmo, só vivendo do momento para se ter uma ideia 



 Resolvi nadar um pouco mais 

 
 Macaquinho sabido e pidão


 Tente achar um jacaré nessa foto(dica: ele está quase no meio da foto, mas um pouquinho abaixo só com a cabecinha para fora). A vegetação aquática da vitória régia e do tipo hidrófila(adaptada a ambiente aquático)

Esse daí eu peguei la nas vitórias régias na mão mesmo, eita cabra valente, kkkkkkkkk


Nesse ponto da vigem eu me deparei com uma das coisas mais espetaculares que já vi em minha vida: o encontro das águas do rio Negro com o rio Solimões 


É de tirar o fôlego .O motivo para que esse fenômeno ocorra é devido ao fato das águas dos rios demoram a se misturar, por motivos variados, há diferenças de temperatura, densidade e velocidade na correnteza dos rios



Se por um lado as águas do rio Negro marcam 28ºC e correm mansas, a 2 km/h, o rio Solimões avança de 4 a 6 km/h com uma temperatura de 22ºC. É bem perceptível essa diferença de temperatura, basta colocar a mão de um lado e passar para o outro pra senti-la. 


A acidez, teor de oxigênio e quantidade de nutrientes existente na água compõe os outros fatores que levam as perceptíveis diferenças entre os dois rios. O rio Negro apresenta um elevado grau de acidez, com pH entorno de 3,8 a 4,9, isso ocorre devido à grande quantidade de decomposição da matéria orgânica e o Solimões apresenta-se mais barrento.  

Uma pausa para descansar e curtir o visual 


Uma vista muito linda e inspiradora 


Isso daqui é uma das coisas mais absurdas que já pude ver.Os maradores desse condomínio de luxo, colocaram telas verdes protetoras nas palmeiras, para impedir que os periquitinhos fizessem ninhos e os incomodassem com seus gritos pela manhã. 



Observe com cuidado, o verde na palmeira é uma tela protetora, credo. 


 Meu primeiro encontro com um manati, ou se quiser, peixe boi

Um pouco da vegetação de terra firme que não é inundada pelo rio 


Um peixe cascudo, muito comum na região 



 Essa é uma bela tartaruga, ou seja, um quelônio muito comum na Amazônia, podendo viver dentro e fora
 d'água.


Uma belíssima seringueira,ou seja, héveas brasilienses

Uma simulação de coisas encontradas na região amazônica 


Essa é uma típica folha gigante: latifoliada 


Cada espaço indicado corresponde aos anos de vida dessa árvore



Um belíssimo e perigoso peixe elétrico 


Tente acachar um jacaré no meio da vegetação.Essa está fácil. 


Outro jacaré no meio da folhagem.Magnífico 



Esse jacaré é muito grande.

Tem coragem de nadar nessa água cheia de jacarés? Duvido
Veja só o tamanho do bicho 


Muito bonito e ao mesmo tempo assustador. O jacaré me olhava e a chuva começava a cair. Essa foto ficou muito bonita. 


Estou tentando entender até agora como brincar nessa gangorra 


Um condomínio de cogumelos, sensacional mesmo. 


Vejam o tamanho dessa folha. Uma legítima latifoliada


As folhas e galhos poderes são a base da nutrição da própria floresta. 


Essa camada orgânica é que dá vida ao solo amazônico que de modo geral é pobre é apresenta acidez. 


Essa foto é no INPA(Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas),  e nesse elevado, posso ficar bem perto da copa das árvores.As árvores da Amazônia apresentam várias situações, podem ser heliófilas(adaptadas a muita luz solar), ou umbrófilas(gostam de sombra).Todas são ombrófilas(adaptadas a muita chuva, ou seja, florestas pluviais)


Veja a escadaria subindo junto com as árvores. Um passeio que todos devem fazer ao visitar Manaus, indo ao INPA. 


Essa raiz é do tipo tabular que atingem grande desenvolvimento e tomam o aspecto de tabuas perpendiculares ao solo , ampliando sua base da planta , dando-lhe mais estabilidade. 


Para quem não conhece, esse é um pé de açaí. Muito bonito mesmo, e bem alto e fininho.


 Animais na pista, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Corre cutia de noite e de dia  




Não deixe de vistar o INPA 


Eu e meu primo Dunga


Peixes em uma peixaria da cidade 



A limpeza de um peixe que eu iria comer mais tarde


Esse foi um dos peixes mais gostosos que comi na Amazônia, na casa do meu primo Dunga que mora em Manaus. 


Delicia de peixe, tudo perfeito. Meu primo e sua esposa, capricharam no peixe assado 


Um passeio na orla do rio Negro, em um local muito bonito chamado Ponta Negra. 


Ponta Negra a noite, muito legal . 






O local ficou muito aconchegante

 Vale a pena visitar Ponta Negra e ver como é bonito o local
Anfiteatro na orla de Ponta Negra 


Eu estava na parada de ônibus perto do hotel e quando olhei para traz vi essa iguana linda.



Se existe uma coisa que tem de existir em Manaus é ar condicionado. Que lugar quente. 


Porto de Manaus  


Mais uma foto do porto de Manaus 


Casas antigas de Manaus.

Estádio que está sendo construído para a copa do Mundo 


Arena Amazônia


Vejam que linda jiboia.A natureza é algo espetacular e cabe a nós seres racionais pensarmos um pouco mais o quanto fazemos coisas ruins para o nosso planeta e entendermos que não somos os únicos seres vivos na Terra.



Prof. Kléber Caverna



.