sexta-feira, 29 de junho de 2012

DISTRITO FEDERAL E BRASILIA : UMA ANÁLISE GERAL

HISTÓRICO : Linha do Tempo


1823-Neste ano José Bonifácio apresenta projeto para mudança da capital e sugere o nome "Brasília" para a nova cidade.

1883-nesse ano Dom Bosco tem seu famoso sonho.



            Entre os paralelos de 15º e 20º havia uma depressão bastante larga e comprida, partindo de um ponto onde se formava um lago. Então, repetidamente, uma voz assim falou: "...quando vierem escavar as minas ocultas, no meio destas montanhas, surgirá aqui a terra prometida, vertendo leite e mel. Será    uma riqueza inconcebível..."



1891- Em 1891, o artigo 3º, da Constituição promulgada naquele ano determinava uma área de 14 mil quilômetros quadrados seria demarcada no Planalto Central, para onde seria transferida a futura capital do País.

1892 -Foi realizada a nomeação da Comissão Exploradora do Planalto Central, a Missão Cruls, que dois anos depois demarca uma área de 14.400 km2 considerada adequada para a futura capital. Esta área ficou conhecida como o “Quadrilátero Cruls”.



7/9/1922- Foi colocada a pedra fundamental “da futura capital federal dos Estados Unidos do Brasil”, perto da cidade de Planaltina, no perímetro do atual Distrito Federal.

4/4/1955- Em um comício na cidade de Jataí - GO, o então candidato à presidência da República Juscelino Kubitschek, respondendo à pergunta de um eleitor(Antônio Soares Neto, o Toniquinho – interpelou Juscelino: “Já que o senhor se declara disposto a cumprir integralmente a Constituição, desejava saber se irá por em prática aquele dispositivo da Carta Magna que determina a transferência da capital para o planalto goiano.”), e faz a promessa de que, se eleito, irá transferir a capital para o Planalto Central.



15/4/1955- A Comissão de Localização da Nova Capital Federal (que havia sido criada em 1953) escolhe o local definitivo onde será construída Brasília - o “Sítio Castanho”.

18/4/1956 –JK encaminha ao Congresso a “Mensagem de Anápolis”, propondo, entre outras medidas, a criação da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (a futura NOVACAP) e o nome de Brasília para a nova capital.

19/9/1956 - O Congresso Nacional aprova por unanimidade o projeto, que se converte na Lei número  2.874. Lançado o edital do Concurso do Plano Piloto, sendo que o edital foi publicado no Diário Oficial de 30/9/1956.

22/10/1956 –Tem início as obras de construção da residência presidencial provisória, o futuro Catetinho, que foi concluído em 31/10/56. O projeto de Lúcio Costa, é que se inicia em 1957. A ideia original era que a Cidade Livre, criada em 1956, deixasse de existir após a inauguração de Brasília. Portanto, a mais antiga satélite criada como tal é Taguatinga. Devemos destacar que as três “satélites” mais antigas são: o Núcleo Bandeirante, antiga Cidade Livre, Planaltina e Brazlândia. Essas últimas, apesar de estabelecidas bem antes de Brasília são de 1859 e de 1932, respectivamente, acabaram se tornando popularmente “cidades-satélites”. Hoje são 30 as Regiões Administrativas.



5/6/1958 -Foi fundada Taguatinga, atualmente a mais importante Região Administrativa do Distrito Federal. Embora Taguatinga tenha sido criada como “a primeira cidade-satélite”, já existia na época a Cidade Livre, atual Núcleo Bandeirante.

28/6/1958 – É inaugurada a Igrejinha de Fátima, por Dom Fernando, arcebispo de Goiânia. O projeto é do arquiteto Oscar Niemeyer, que a pedido da então primeira-dama Sarah Kubitschek ao ver sua filha Márcia Kubitschek doente, fez uma promessa a Nossa Senhora de Fátima, prometendo-a que se sua filha ficasse curada lhe dedicaria a 1a Igreja de Brasília.


21/4/1960 –No mesmo dia que se comemora o dia de Tiradentes ,  Brasília foi inaugurada. As festividades da inauguração já haviam se iniciado às 16h do dia 20 de abril e às 9h30 do dia 21 de abril, os Três Poderes da República se instalaram simultaneamente na nova capital do país.

1961 a 1964 -Durante os Governos de Jânio Quadros e de João Goulart, a construção da cidade e a transferência de órgãos da antiga capital, Rio de Janeiro, fica quase estagnada. A partir de 1964, Castelo Branco e os demais presidentes militares que o sucederam consolidam Brasília como a capital de fato do país.

21/4/1962- A UnB foi inaugurada oficialmente, tendo como primeiro reitor, Darcy Ribeiro. É de 1961 a lei que autorizou a criação da Fundação Universidade de Brasília. Por esse motivo, em algumas fontes se fala que a UnB foi criada “em 1961”, apesar de ela só ter sido realmente  inaugurada no ano de 1962.

9/3/1967 –A Torre de TV foi oficialmente inaugurada, porém, é de se destacar que o mirante da Torre já funcionava desde 21/4/1965.

31/5/1970-Após mais de dez anos de construção, é inaugurada a Catedral de Brasília.

21/11/1971 – foi inaugurada a 1ª etapa do Conjunto Nacional, o 1º Shopping Center da cidade.

11/10/1978- era inaugurado o Parque da Cidade.




O e também é conhecido como Parque Sarah Kubitschek e se localiza na Asa Sul de Brasília. Foi construído com o objetivo de preservar a área verde existente no local, além de proporcionar atividades de lazer para a comunidade. 

8/11/1983 –neste ano foi inaugurado o maior Shopping de Brasília, o ParkShopping.

7/12/1987 –Brasília é tombada pela UNESCO e registrada como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade.Brasília, muito mais do que um  símbolo nacional, foi o único núcleo urbano contemporâneo considerado digno de ser incluído na lista dos bens de valor universal pelo Comitê do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Isso ocorreu mediante resolução da referida entidade internacional, em 7 de dezembro de 1987. Nossa Capital foi então alçada ao mesmo grau de importância de sítios urbanos notáveis como Florença, Veneza, Cuzco, Quito, Havana, Toledo, Évora, Lübeck, Roma, Vaticano, Olinda e Ouro Preto, entre outros também guardados sob a tutela das Nações. 
      A escolha de Brasília deveu-se às particularidades e aos valores de seu plano urbanístico, concebido por Lúcio Costa com base nos conceitos de urbanismo deste século, discutidos e propostos pelos Congressos Internacionais de Arquitetura Moderna (CIAM), e divulgados pela Carta de Atenas, de 1933, publicada pela primeira vez por Le Corbusier em 1943. 



DEMOGRAFIA DO DISTRITO FEDERAL:

A População do DF cresce em um ritmo maior do que a brasileira:

No ano de 1957 viviam pouco mais de 12 mil pessoas nas terras que antes perteciam ao estado de Goiás (Planaltina, Brazlândia e fazendas vizinhas) que deram origem à nova capital. Esse é o número de habitantes que o (IBGE) calculou naquele ano. Mais de 50 anos depois, os novos resultados do último Censo, em 2010, apontam que exatamente 2.570.160 pessoas vivem no Distrito Federal.
CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO DO DF: 
Em uma década , o DF teve um crescimento populacional de 24,9%, acima do aumento de 12,3% registrado pela população brasileira. Isso fez com que a Região Centro-Oeste aumentasse o percentual entre os 190.732.694 brasileiros de 6,9% para 7,4%.
REGIÕES ADMINISTRATIVAS ( RA´s) : O Distrito Federal é um local bastante peculiar e diferente por ser uma unidade da Federação dividida em regiões administrativas e não em municípios, como nos demais estados brasileiros.Existem 31 RA´s no Distrito Federal, sendo que por Lei do Poder Executivo, fiocu estabelecido que a Fercal passa a ser a 31ª Região Administrativa do Distrito Federal( publicada na edição extra de domingo 29/01/2012, do Diário Oficial do DF)

.Para o dados do IBGE, essas divisões por Regiões Administrativas não são levadas em conta.

Por essa particularidade , a população de Brasília corresponde à soma dos moradores da primeira região administrativa (Brasília, que não ultrapassa 200 mil) aos habitantes das demais 29 regiões (Samambaia, Ceilândia, Águas Claras, Taguatinga, Santa Maria,Sobradinho,Gama,Brazlândia,Guará,Vicente Pires  entre outras).
De 2003 até o ano de 2012,foram criadas 11 novas regiões administrativas, perfazendo um total de 31. São elas:
XX      -    Águas Claras (até então fazia parte de Taguatinga)
XXI     -    Riacho Fundo II
XXII    -    Sudoeste / Octogonal (fazia parte do            Cruzeiro),
XXIII   -    Varjão (fazia parte do Lago Norte)
XXIV   -    Park Way
XXV    -    Setor Complementar de Indústria e Abastecimento
XXVI   -    Sobradinho II
XXVII  -    Jardim Botânico
XXVIII -    Itapuã.
XXIX   -    Setor de Indústria e Abastecimento
XXX    -    Vicente Pires
XXXI   -    Fercal


POPULAÇÃO DE BRASÍLIA/DISTRITO FEDERAL: Supondo que o Distrito Federal fosse um município, ele seria o quarto maior do país, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.Para que possamos ter uma ideia, nos últimos 10 anos, a capital federal subiu duas posições nesse ranking, ultrapassando Belo Horizonte e Fortaleza.


DIVISÃO POR GÊNEROS: o DF apresenta uma leve predominância feminina (1.341.280 mulheres -  52,2%) comparada a população de homens (1.228.880 homens  -  47,8%). O aumento relativo da população masculina deu-se no quinquênio 1997-2002, quando alcançou 20,6%, enquanto que a feminina registrou 18,3% de acréscimo no mesmo período.
URBANIZAÇÃO : Desde que Brasília foi inaugurada a população do Distrito Federal é essencialmente urbana. No último Censo, ela se manteve constante: 96,6% das pessoas vivem nas cidades, enquanto 87.950 moram na zona rural. O índice é maior do que a média nacional (84% dos brasileiros vivem em áreas urbanas).

O DF apresenta inúmeros problemas urbanos e rurais , onde podemos dar destaque:
        -Grilagem de terras;
        -Especulação imobiliária;
        -Presença de favelas e invasões;
       -Elevada criminalidade;
       -Falta de moradias;
       -Problemas de infra-estrutura básica e saneamento;
       -Segurança;
       -Transportes e educação;
-Trânsito caótico : Em 10 anos, a frota de veículos do Distrito Federal cresceu cinco vezes mais que a população. São 1.233.000 veículos para um total de 2, 5 milhões de habitantes, média de  quase  um carro para cada duas pessoas;
     -Poluição sonora, atmosférica,visual , eutrofização do    Lago Paranoá;
     -Problema do lixo urbano;
    -Destruição da biodiversidade e do bioma do cerrado;
    -Poluição dos rios e do Lago Paranoá;
    -Desmatamento do cerrado


DISTRIBUIÇÃO POR FAIXAS ETÁRIAS: os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2007 revelaram redução no número de nascimentos e acréscimo no percentual da população idosa.
-O número de crianças reduziu-se para 11,4% entre 2002 e 2007 (era 13,7% de 1997 a 2002).
-A população das pessoas acima de 60 anos passou de 4,8% (1997-2007) para 7,2% (2002-2007), aumento de 4,3%. Na pesquisa de 2009, os idosos representavam 7,8%.
TAXA DE FECUNDIDADE:  O número médio de filhos por mulher no  DF vem caindo nas últimas décadas e continuará diminuindo nos próximos anos, veja:
1960 --------- 6,9
1970 --------- 5,6
1980 --------- 3,6
1991---------- 2,3
1996 ----------2,1
2000 ----------1,99
2010 ----------1,79
2030 ----------1,63

ETNIAS: Tomando por base à raça (etnia), a população do DF não difere das características dos brasileiros de forma geral, com leve predominância da cor parda/negra. Em 2007, 49,5% dos habitantes declararam ser pardos, e 41,6%, brancos. Os que se autodeclararam negros são 7,4% (aumento de 32,4% em relação aos de 2007, provavelmente pela conscientização da origem étnica).
MIGRAÇÕES: Desde que teve início a sua construção, Brasília atraiu milhares de pessoas para a nova Capital .Devido à forte migração de mão de obra para a construção da capital do país, Brasília é a unidade da Federação maior número de forasteiros. Foram cerca de 60 mil candangos (nome dado aos trabalhadores que vieram de toda parte, principalmente do Nordeste, de Goiás e de Minas, ao centro do país para construir a nova cidade).
No primeiro Censo nacional que incluiu Brasília, em 1970, os nascidos na capital eram 22,2% da população. O índice foi aumentando gradativamente: 31,9% em 1980; 41,5% em 1991; e 46,8% em 2000. Na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), em 2008, 48,9% da população era formada por nativos. Com mais de 50 anos, estima-se que Brasília tenha pelo menos metade da população nascida em solo brasiliense.
Mesmo sendo a capital do país e sede de embaixadas, a participação dos estrangeiros na população do Distrito Federal é pequena, chegando a apenas 0,3%.
IDH do DISTRITO FEDERAL:  É importante que destaquemos que mesmo com as mudanças no IDH em nível mundial, os critérios para o IDH dos Estados e Municípios e DF não sofreram alterações. Sendo assim, ainda utilizamos os critérios de IDH que vigoravam antes de 2010. Observe o posicionamento do DF no ranking nacional:


CUSTO DE VIDA : Brasilia foi classificada entre as 50 mais caras do mundo. Ficou na 33ª posição(à frente de Roma, na Itália; Viena, na Áustria; e Amsterdã, na Holanda. Brasília foi a terceira cidade que mais subiu no ranking, pulando 37 posições. São Paulo (10ª) e Rio de Janeiro (12ª) também integram a lista

Veja a seguir um quadro resumo do perfil dos moradores do Distrito Federal:


  Mais alguns dados sobre o DF:

MORTALIDADE  
INFANTIL
15,8
PIB EM 
MILHÕES 
117.572 bilhões     
/reais
PIB 
PERCAPITA
45.978,00
FROTA DE 
VEÍCULOS
1.233.000
ELEITORES
1.836.280 ( 1,4% 
eleitorado/Brasil)
Extensão das 
rodovias (Km)
1.447,1


ENTORNO DO DISTRITO FEDERAL : 


Além do DF, podemos observar o chamado ENTORNO DO DF:





         
   O Entorno do DF é  compreendido por  22 municípios , sendo , 19 do Estado de Goiás e 3 do Estado de Minas Gerais.(Veja no mapa anterior).
O Entorno do Distrito Federal está crescendo em ritmo acelerado. Segundo o Censo 2010, do IBGE, as 22 cidades do cinturão goiano e mineiro sofreram aumento populacional de 27,2% na última década. Em 2000, havia 906.275 moradores na região, sendo que agora, o total chega a 1.152.725. 
Segundo Aldo Paviane, “Brasília é uma cidade polinucleada, ou seja, tem um núcleo central, que é o Plano Piloto, e outros núcleos múltiplos [regiões administrativas]. Ultimamente o que se nota é o que em geografia urbana se chama de conurbação, que é o emendamento de dois ou mais núcleos”

Obs: ENTORNO DO DF  x ENTORNO DE BRASÍLIA

            O Entorno do DF corresponde aos 22 municípios que circundam o Distrito Federal, ao passo que o Entorno de Brasília corresponde as 30 Regiões Administrativas que circundam Brasília(RA-I).




RIDE:   Região Integrada do Desenvolvimento de Distrito Federal e Entorno


 Brasília não forma uma Região Metropolitana, uma vez que comporta municípios de outros estados(GO/MG), sendo assim, Brasília forma uma RIDE.

ECONOMIA DO DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA: de modo geral o DF vive de sua principal vocação , as atividades administrativas e comerciais. O setor Terciário(Comércio e Serviços) é o “carro-chefe” da economia local, porém, podemos dar destaque a outras atividades econômicas do DF, veja:




ASPECTOS NATURAIS DO DISTRITO FEDERAL:

                  CLIMA: 
               De modo geral o clima do DF é do tipo Tropical Típico - verão quent4e e chuvoso e o inverno frio e seco.


                         HIDROGRAFIA:
                  -Com uma área de  5.789,16 km², é drenada por cursos d’água   
                  pertencentes  a três das mais importantes bacias hidrográficas brasileiras:    
                 São Francisco   (Rio Preto), Tocantins/Araguaia (Rio Maranhão) e Paraná 
                 (rios São Bartolomeu  e Descoberto). De acordo com o mapa hidrográfico  
                  do DF (Mapa das Unidades  Hidrográficas), essas bacias são denominadas    
                  de Regiões Hidrográficas.

                -Todos  os seus rios são de planalto, sendo as principais bacias identificadas  
                 por um  padrão de drenagem radial. Pela disposição da drenagem, observa- 
                 se que dois  de seus cursos de água são delimitadores do território do 
                 Distrito Federal:  

                                  -a Leste, o Rio Preto; e, a Oeste, o Rio Descoberto.

Entre os fatores que ameaçam o abastecimento de água na região, estão:
-queimadas;
 -desmatamento ;
 -erosão;
 -assoreamento;
 -contaminação das águas por esgoto;    
  sem tratamento;
 -crescimento da população e aumento;   
  da demanda e consumo;
  -surgimento de loteamentos;
  invasões e ocupação desordenada de terras rurais e áreas de    
  preservação;
 -desperdício.


VEGETAÇÃO: O cerrado é a segunda maior formação vegetal brasileira. Estendia-se originalmente por uma área de 2 milhões de km², abrangendo dez estados do Brasil Central. Hoje, restam apenas 20% desse total.Típico de regiões tropicais, o cerrado apresenta duas estações bem marcadas: inverno seco e verão chuvoso. Com solo de savana tropical, deficiente em nutrientes e rico em ferro e alumínio, abriga plantas de aparência seca, entre arbustos esparsos e gramíneas, e o cerradão, um tipo mais denso de vegetação, de formação florestal.No DF o cerrado é a vegetação predominante.



A vegetação do cerrado , para se proteger dos períodos mais secos, apresenta algumas características peculiares: é normalmente baixa, com plantas esparsas de troncos retorcidos.
Características principais:
- Vegetação rasteira e esparsa.
- Árvores e arbustos  de raízes profundas e troncos retorcidos.
- Cascas grossas e folhas espessas.
- Principais representantes: sucupira, a copaíba, a peroba-do-campo e o ipê-do-cerrado.



RELEVO:  O relevo do DF é basicamente formado por Chapadas; Planícies Aluviais, Vales Dissecados, veja:






SOLO : O solo do DF é composto em sua maioria pelo LATOSSOLO, ou seja, é pobre em nutrientes, mas rico em ferro e alumínio. De antiga formação, a superfície do solo tem pouca capacidade de absorver água. Mas abaixo dele há uma grande reserva de água.


Características principais:
- Profundo
- De cor vermelha amarelada.
- Arenoso e permeável
- Baixa fertilidade natural.


OBS - Para poder usar o latossolo é necessário que o seu ph seja corrigido através de um processo chamado CALAGEM.


Prof Kléber


.



sexta-feira, 15 de junho de 2012

Aluno da turma da PM do Impácto Taguatinga.

 A Rio + 20 Conferência das Nações Unidas em Desenvolvimento sustentável já vem provocado encontros de especialistas, ONGs e representantes da sociedade, desde 2010.De forma geral, espara-se que a Rio+20 sejam mais um balanço dos ultimos 20 anos que a separam da Rio 92, marco da historia sócioambiental mundial que resultou numa série de documentos importantes, como a Agenda 21, e também nas convençãoes de clima e diversidade biológica.


A Agenda 21 foi criada na rio 92 ou no forum paralelo da ECO?

A questão cita só a Rio 92 e trata a questão como certa, sendo que a Agenda 21 foi criada ECO 92.

RESPOSTA:

A “Agenda 21” é um documento lançado na ECO92 (ou Rio92, a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento – CNUMAD – realizada em 1992 no Rio de Janeiro), que sistematiza um plano de ações com o objetivo de alcançar o desenvolvimento sustentável.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

ABSURDOS DO MAL USO DO DINHEIRO PÚBLICO NO BRASIL

Leia e assista a brilhante reportagem exibida pelo ótimo programa de jornalismo da Rede Globo, Profissão Repórter, que no dia 05 de junho exibiu várias reportagens mostrando os absurdos da saúde pública em nosso país.Veja como os cidadãos ficam expostos as dificuldades no dia-a-dia , quando precisam ir ao médico nos hospitais públicos brasileiros.


ACESSE A REPORTAGEM COMPLETA NO LINK A SEGUIR:


Prof. Kléber