terça-feira, 6 de março de 2012

URBANIZAÇÃO BRASILEIRA

 URBANIZAÇÃO BRASILEIRA

           
O QUE É URBANIZAÇÃO?

-A urbanização consiste no aumento proporcional da população urbana em relação à população rural.As vezes o conceito de urbanização pode se referir a ideia de infra-estrutura.

A URBANIZAÇÃO BRASILEIRA:

-Tomando por base que urbanização é o aumento proporcional da população urbana em relação à população rural, e que segundo esse conceito, só ocorre urbanização quando o crescimento da população urbana supera o crescimento da população rural, o Brasil somente se tornou um país urbano em meados da década de 1960.

-Nosso processo de urbanização foi bastante moroso e somente na segunda metade do século XX, o Brasil tornou-se um país urbano, ou seja, mais de 50% de sua população passou a residir nas cidades.
-Desde a crise de 1929, que afetou duramente a economia cafeeira brasileira, que muitos contingentes de pessoas saíram do campo(êxodo rural) e vieram para as cidades atrás de emprego.

-A partir de 1930 com o governo de Getúlio Vargas, nosso pais começou uma nova etapa de sua economia. Vargas passou a diversificar a economia e a indústria passa a ser mais incentivada.

-Os processos de industrialização e de urbanização brasileiros estão intimamente ligados, pois as unidades fabris eram instaladas em locais onde houvesse infra-estrutura, oferta de mão-de-obra e mercado consumidor.

-No momento que os investimentos no setor agrícola, especialmente no setor cafeeiro, deixavam de ser rentáveis, além das dificuldades de importação ocasionadas pela Primeira Guerra Mundial e pela Segunda, passou-se a empregar mais investimentos no setor industrial.

- A partir da década de 1950, o processo de urbanização brasileira acelerou de forma espetacular. Isso se deve, sobretudo, a intensificação do processo de industrialização nacional ocorrido a partir de 1956, sendo esta uma das principais conseqüências  entre uma série de outras, da "política desenvolvimentista" do governo JK.




-NOVOS DADOS DO CENSO 2010:




-Segundo os dados dos censo realizado em 2010, apenas 15,65% da população brasileira (29.852.986 pessoas) viviam em situação rural,ao passo que 84,35% dos brasileiros vivem em situação urbana (160.879.708 pessoas). 

-É interessante destacar que em 2000, da população brasileira 81,25% (137.953.959 pessoas) viviam em situação urbana e 18,75% (31.845.211 pessoas) em situação rural.

-Ao compararmos o Brasil com outras regiões do mundo vemos o quanto nosso país apresenta um índice muito elevado de urbanização, o que não quer dizer que as coisas estejam boas nas cidades. Na União Europeia, há desde países com 76% até outros com 89% da sua população morando em região urbana. No BRIC(Brasil,Rússia,Índia e China), o Brasil é o que possui maior urbanização, Rússia tem 73%, China 39% (em 2003) e Índia apenas 28%.

















-HIERARQUIA URBANA BRASILEIRA:



- Rede Urbana: Consiste em uma espécie de articulação entre cidades. Há dois tipos de Rede Urbana: a Clássica e a Atual.



-Observe que na rede clássica há uma hierarquia urbana( vai da menor-vila- até o maior-metrópole nacional), porém,na rede urbana atual não existe essa hierarquia, a vila pode se comunicar diretamente com a Metrópole Nacional e vice-versa.

OBS: Existe uma terceira forma de analisarmos a hierarquia urbana, incluindo as chamadas Metrópoles Globais ou Mundiais. Veja o esquema a seguir:



PROBLEMAS URBANOS:

-É inegável que a Urbanização tenha trazido desenvolvimento para os países e industrialização mas também trouxeram inúmeros problemas de âmbito social, econômico e ambiental. Aqui estão listados alguns problemas gerados pela Urbanização:

1- TRÂNSITO



              Muitos são os problemas ligados ao trânsito, onde podemos dar destaque aos engarrafamentos, acarretando prejuízos para a indústria e comércio, mais consumo de combustível e mais poluição, a poluição atmosférica ligada aos motores por combustão, ao aquecimento do ambiente urbano ligado ao calor emanado pelos veículos automotores, aos constantes acidentes e ao stress provocado pelo caos encontrado no trânsito.

2- HABITAÇÃO



               A falta de moradia, ao processo de elitilização dos espaços urbanos e no que diz respeito a favelização e a especulação imobiliária.

3- DESEMPREGO E SUBEMPREGO



           
              O inchaço urbano que não permite a todos um trabalho digno e satisfatório. O alto índice de desemprego nos grandes centros urbanos, principalmente devido o exôdo rural, e o crescimento do mercado informal.

4- MARGINALIZAÇÃO
    
 O crime organizado tomando conta de várias cidades , a presença do menor abandonado,a prostituição, os assaltos, os crimes, mendigos, pessoas usando drogas e muitas vezes praticando crimes em função da dependência aos entorpecentes. 

5- POLUIÇÃO:



Os principais tipos de poluições que afetam o meio urbano são:
           
 ATMOSFÉRICA: contaminação da atmosfera pelos poluentes químicos, o gás carbônico , que provoca o efeito estufa, e o CCF ( Cloro, Carbono e Flúor), que destrói a camada de ozônio. Além dos metais pesados. As chuvas ácidas são outro fenômenos atmosféricos causados em escala local e regional, pela emissão de poluentes das indústrias, dos transportes e outras fontes de combustão.
           
 VISUAL: consiste no excesso de cartazes, out doors, letreiros, pichações, luzes em excesso ou muito fortes,massificação através da propaganda.

POLUIÇÃO DO SOLO: este tipo de poluição pode ter várias origens, onde podemos destacar o acúmulo de lixo jogado no solo, que trás uma série de problemas não somente para alguns ecossistemas, mas também para a sociedade, como: proliferação de insetos e ratos, que podem transmitir várias doenças; decomposição bacteriana da matéria orgânica, que além de gerar mal cheiro, produz um caldo escuro e ácido denominado chorume, que por sua vez infiltra-se no subsolo contaminando o lençol freático; contaminação do sol e das pessoas que manipulam o lixo com produtos tóxicos; acúmulos de matérias não biodegradáveis.

TERMAL: diz respeito ao super aquecimento da atmosfera mediante fumaça quente que sai das fábrica e dos carros; aquecimento dos asfaltos e do concreto pelo sol, além do efeito estufa. As Ilhas de Calor são características desta poluição termal.
    
            SONORA: consiste nos intensos e freqüentes ruídos que provocam problemas de saúde  alongo prazo como: surdez, neurose, lesões entre outros...
           
ÁGUAS:  a poluição das águas em áreas urbanas está geralmente ligada ao despejo de poluentes nos rios,lagos ou mares que se encontram próximos ou na própria cidade.O lençol freático e os aquíferos também são afetados nas áreas urbanas.


6- SANEAMENTO



O saneamento básico é um conjunto de procedimentos adotados numa determinada região que visa proporcionar uma situação higiênica saudável para os habitantes. Entre os procedimentos do saneamento básico, podemos destacar:

-Tratamento d’água
-Canalização e tratamento de esgotos
-Limpeza pública de ruas e avenidas
-Coleta e tratamento de resíduos orgânicos (em aterros sanitários regularizados) e materias (através da reciclagem)

É importante que destaquemos que com estas medidas de saneamento básico, é possível garantir melhores condições de saúde para as pessoas, evitando a contaminação e proliferação de doenças. Ao mesmo tempo, garante-se a preservação do meio ambiente.


-CONCEITOS IMPORTANTES EM URBANIZAÇÃO:


Macrocefalismo  Urbano:


Crescimento acelerado dos centros urbanos, principalmente nas metrópoles, provocando o processo de marginalização das pessoas que por falta de oportunidade e baixa renda residem em bairros que não possuem os serviços públicos básicos, e com isso enfatiza o desemprego, contribui para a formação de favelas, resultando na exclusão social de todas as formas. 

Metrópoles


Cidade que devido ao porte de suas atividades financeiras, administrativas e no campo da informação, adquire importância e influência nacional, regional e até mundial, como, p.ex., Londres, Tóquio etc. 

Conurbações: 


Ocorre quando um município ultrapassa seus limites por causa do crescimento e com isso encontra-se com os municípios vizinhos. 

Regiões Metropolitanas:


Consiste na união de dois ou mais municípios formando uma grande malha urbana, é comum nas cidades sedes de estados (ex.Goiânia, Aparecida de Goiânia e cidades do entorno). 

RIDE:


São as regiões que se situam em mais de uma unidade federativa. Ex: Brasília e o entorno do Distrito Federal, Juazeiro(BA) e Petrolina(PE)


Megalópole: É a união de duas ou mais regiões metropolitanas. 



Tecnopólos: 


Também são chamadas de Cidades ciência. Nestas cidades estão presentes centros de pesquisas, universidades, centros de difusão de informações. Geralmente os tecnopólos estão alienados a universidades e indústrias. 

Verticalização: 


È a transformação arquitetônica de uma cidade, ou seja, a mudança da forma horizontal das construções (ex: casas), para a verticalização (construção de prédios). 

Segregação Espacial:


È o foco do poder público as regiões onde a parcela da população possui melhor poder aquisitivo, e omissão as regiões periféricas desprovidas dos serviços públicos. 

Cidades Formais/Artificiais: 


São cidades planejadas. 

Cidades Informais/Expontâneas: 


São compostas pelas regiões periféricas, regiões onde não possui infra-estrutura suficiente.


Cidades globais:


São aquelas cidades  em que se concentra a movimentação financeira, onde se situam as sedes de grandes empresas ou escritórios filiais de multinacionais, importantes universidades e centros de pesquisa. Elas dispõem da infra-estrutura necessária para a realização de negócios nacionais e internacionais, como aeroportos e/ou portos, bolsas de valores e avançados sistemas de telecomunicações, além de uma ampla rede de hotéis, bancos, centros de convenções, de eventos e de comércio.


 Megacidades:


São cidades com mais de 10 milhões de habitantes.Sendo o conceito de megacidade meramente populacional, ele pode se mesclar ao de cidade global. Nova York (EUA), Tóquio (Japão) e São Paulo (Brasil) são simultaneamente cidades globais e megacidades.


Enclaves Fortificados


Os enclaves fortificados dizem respeito aos condomínios fechados.

-Leia a seguir este interessante texto sobre os enclaves fortificados:

Nas ultimas décadas, a proliferação de enclaves fortificados vem criando um novo modelo de segregação espacial e transformando a qualidade da vida pública em muitos cidades ao redor do mundo.
Enclaves fortificados são espaços privatizados, fechados e monitorados para residência, consumo, lazer ou trabalho.
Se assiste, contemporaneamente, a uma alteração marcante na qualidade do espaço público e no significado da noção de público que caracterizou a emergência da vida moderna. O incremento desmesurado das atividades criminosas, o crescente temor à violência, a ele correlato, e as transformações acentuadas por que passa a cidade nas últimas duas décadas têm ajudado a produzir um novo padrão de segregação.
Essa alteração apóia-se na atribuição de ameaça a alguns grupos que compõem a população, aliada à descrença e à desconfiança na capacidade de os poderes públicos garantirem a segurança dos cidadãos, o que tem levado a uma progressiva transferência dessa responsabilidade para as empresas privadas de segurança. Além disso, o medo da violência - que atinge patamares inéditos - faz com que grupos sociais que se julgam possíveis alvos de atentados criminosos busquem ou tenham a ilusão de ocupar uma situação segura. Assim, afastam-se das possibilidades de encontro com aqueles que consideram diferentes e, por conta isso,perigosos.
Ideais como liberdade, igualdade, tolerância e respeito à diferença, traços distintivos da perspectiva democrática que emergiu com a cidade, são progressivamente substituídos pela fragmentação e pela separação rígida de espaços (também sociais),garantidas por uma segurança sofisticada e estruturada sobre a valorização da desigualdade

(Teresa Pires do Rio Caldeiras. Enclaves fortificados: a nova segregação urbana.Novos Estudos. São Paulo: CEBRAP, março de 1997, p 155) . 




PROF Kléber




.





.

Nenhum comentário:

Postar um comentário