sexta-feira, 4 de outubro de 2013

DICAS SOBRE A HISTÓRIA DA INDÚSTRIA NO BRASIL

DEZ DICAS DE ATUALIDADES – KLÉBER CAVERNA

DICA Nº 05
TEMA: A HISTÓRIA DA INDÚSTRIA NO BRASIL







1-Foi somente no século  XIX que começou o desenvolvimento industrial no Brasil.O primeiro grande marco ocorreu na década de 1840, com a Tarifa Alves Branco e com o início da chamada “Era Mauá”, que se estendeu de 1840 até 1864. 

2-No início do século XX, as fábricas de tecidos, roupas, alimentos, bebidas e fumo eram responsáveis por aproximadamente 70% da produção industrial brasileira. Nosso país estava voltado numa política de SUBSTITUIÇÃO DAS IMPORTAÇÕES (foi a saída encontrada para amenizar as dificuldades, em meio à guerra, de importações de produtos industrializados que nesse momento alcançaram elevados preços, além do fato de que a inoperância agrário-exportadora, em meio à guerra mundial, incita no país o deslocamento dos investimentos para o setor industrial, que passa a produzir produtos até então adquiridos por importação e a paulatinamente se voltar para o mercado interno).

3-A nossa Segunda Revolução Industrial occorreu a partir da década de 1930. Durante o primeiro governo de Getúlio Vargas (1930-1945) a indústria nacional  ganhou um grande impulso. Suas leis eram voltadas para a regulamentação do mercado de trabalho, medidas protecionistas e investimentos em infra-estrutura,e com isso a indústria nacional cresceu significativamente nas décadas de 1930-1940.

3-Entre as empresas estatais criadas por Vargas, podemos citar a Companhia Siderúrgica Nacional (1940), a Companhia Vale do Rio Doce (1942), a Fábrica Nacional de Motores (1943) e a Hidrelétrica do Vale do São Francisco (1945).Mais tarde , em seu segundo mandato, seria criada a Petrobras em 1953.

4-Durante a chamada “Era JK”, (1956 -1960) o desenvolvimento industrial brasileiro ganhou novos rumos e feições. Juscelino abriu a economia para o capital internacional, atraindo indústrias multinacionais. Também nesse momento, nossa  matriz de transporte iria sofrer grandes mudanças, uma vez que nos tornaríamos um país cada vez mais rodoviarista, que de certa forma era uma “imposição” das indústrias automobilísticas que estavam vindo para o Brasil. As ferrovias iriam perder espaço no transporte nacional.


5-O regime militar em nosso país boi baseado no binômio segurança-desenvolvimento, ou seja, um modelo de crescimento econômico instaurado pela ditadura que contava com recursos do capital externo, do empresariado brasileiro e com a participação do próprio Estado como agente econômico. O PNB cresce, em média, 10% ao ano entre 1968 e 1973.Asa base do “Milagre” apostava nas exportações para obter parte das divisas necessárias às importações de máquinas, equipamentos e matérias-primas. 
6-Tudo parecia perfeito até que a primeira crise do petróleo em 1973, põe fim a “farra” e expõe a verdadeira tragédia brasileira: um país com grandes disparidades econômicas e sociais e que estava vivendo também uma forte repressão ditatorial com os chamados “Anos e chumbo”.

7-Após a ditadura, os governos que se sucederam também tiveram muitos desafios.No governo Sarney, os planos econômicos também não funcionaram (Plano Cruzado,Bresser, Verão), e a hiperinflação e a recessão tomaram conta de nossa economia.

8-No governo Collor fomos vítimas de um golpe na credibilidade dos grandes e pequenos investidores.O confisco da poupança rendeu muitas críticas a Collor. Em seu governo tivemos a criação do Mercosul em 1991; abertura de mercado em setores tais como a informática, indústria automobilística e a telefonia.Collor sofreu impeachmente e foi subistituído por Itamar Franco, o seu vice, que de grande realização teve a criação do Plano Real , onde o seu ministro da Fazenda FHC, organizou toda a mudança de nossa economia , inclusive da moeda que passaria a ser o REAL.

9-O governo de FHC foi marcado pelo NEOLIBERALISMO(Estado Mínimo), conseguindo aprovar no Congresso Nacional várias emendas à Constituição, inclusive a que permite a sua própria reeleição.Em seu primeiro mandato, nossa moeda tinha um câmbio fixo(moeda forte), baseada em empréstimos estrangeiros, venda de estatais,superávit primário etc.Porém, no seu segundo mandato as coisas desandaram e enfrentamos uma grande crise. Logo no início do mandato, o real foi desvalorizado e trocamos o câmbio fixo pelo câmbio flutuante(flexível, onde a taxa de câmbio oscila exclusivamente em função da oferta e demanda no mercado).


10-O governo Lula foi marcado por altos e baixos, mas teve um grande papel no processo democrático nacional e em inúmeras melhorias sociais e econômicas em nosso país. Foram criados vários programas que ajudaram a alavancar nossa economia e a qualidade de vida dos brasileiros, onde podemos destacar: Fome Zero;Bolsa Família,Luz para Todos,Prouni, PAC, PPP´s etc.


Prof. Kléber







Nenhum comentário:

Postar um comentário