quinta-feira, 8 de agosto de 2013

ORIENTE MÉDIO - O BERÇO DAS TRÊS GRANDES RELIGIÕES MONOTEÍSTAS EXISTENTES NO MUNDO

A HISTÓRIA DAS TRÊS PRINCIPAIS  RELIGIÕES MONOTEISTAS
JUDAISMO - CRISTIANISMO - ISLAMISMO

JUDAISMO:





Baseada nos livros antigos, que serviram de base para a elaboração do Velho Testamento e não tem o aspecto missionário, portanto a expansão do Judaísmo tem como fator principal a dispersão (diáspora) do povo judeu. O número de seguidores não ultrapassa 20 milhões.Tem como crença principal a existência de apenas um Deus, o criador de tudo. Para os judeus, Deus fez um acordo com os hebreus, fazendo com que eles se tornassem o povo escolhido e prometendo-lhes a terra prometida.
     A Torá ou Pentateuco, de acordo com os judeus, é considerado o livro sagrado que foi revelado diretamente por Deus. Fazem parte da Torá : Gênesis, o Êxodo, o Levítico, os Números e o Deuteronômio. O Talmude é o livro que reúne muitas tradições orais e é dividido em quatro livros: Mishnah, Targumin, Midrashim e Comentários.
Tomando por base a Bíblia  para entendermos a história deste povo, de acordo com as escrituras sagradas,podemos elaborar a seguinte linha do tempo no processo de formação da religião judaica:

Por volta de 2000 a.C -  Abraão recebeu uma sinal de Deus para abandonar o politeísmo e para viver em Canaã (atual Palestina). Isaque, filho de Abraão, tem um filho chamado Jacó. Este luta , num certo dia, com um anjo de Deus e tem seu nome mudado para Israel. Os doze filhos de Jacó dão origem as doze tribos que formavam o povo judeu.


Por volta de 1700 a.C : o povo judeu migra para o Egito, porém são escravizados pelos faraós por aproximadamente 400 anos.




Por volta de 1300 a.C: nesse período ocorre a libertação do povo judeu ocorre. A fuga do Egito foi comandada por Moisés, que recebe as tábuas dos Dez Mandamentos no monte Sinai. Durante 40 anos ficam peregrinando pelo deserto, até receber um sinal de Deus para voltarem para a terra prometida, Canaã.




Por volta de 1000 a.C: Jerusalém é transformada num centro religioso pelo rei Davi. Um pouco mais tarde no  reinado de Salomão, filho de Davi, as tribos dividem-se em dois reinos : Reino de Israel e Reino de Judá. Neste momento de separação, aparece a crença da vinda de um messias que iria juntar o povo de Israel e restaurar o poder de Deus sobre o mundo. 




721 a.Ctem início a primeira diáspora judaica com a invasão babilônica. O imperador da Babilônia, após invadir o reino de Israel, destrói o templo de Jerusalém e deporta grande parte da população judaica.Geralmente se atribui o início da primeira diáspora judaica ao ano de 586 a.C., quando NABUCODONOSSOR II — imperador babilônico — invadiu o Reino de Judá, destruindo a Jerusalém, e o Templo; e deportando os judeus para a Mesopotâmia. Mas esta dispersão se inicia antes, em 721/2 aC, quando o reino de Israel ao norte é destruído pelos assírios e as dez tribos de Israel são levadas como cativas à Assíria e Judá passa a pagar altos impostos para evitar a invasão, o que não será possível negociar com Nabucodonosor II.



Por volta do século I:  Em 70 d.C., após mais algumas dessas revoltas, os romanos expulsaram os judeus da Palestina, dispersando esse povo pelo mundo. Tal acontecimento ficou conhecido como Diáspora.Os romanos invadem a Palestina e destroem o templo de Jerusalém. No século seguinte, destroem a cidade de Jerusalém, provocando a segunda diáspora judaica. Após estes episódios, os judeus espalham-se pelo mundo, mantendo a cultura e a religião.



Final do século XIX- 1897: tem início o movimento Sionista.O Sionismo trata-se do anseio do povo judeu para voltar a sua pátria de origem. O significado da palavra sionismo é derivada do termo bíblico "Sion", usado geralmente como um sinônimo de "Jerusalém" e da Terra de Israel (Eretz Israel). 

Sion - Jerusalém

O sionismo é uma ideologia que expressa o profundo anelo dos judeus de todo o mundo por sua pátria histórica - Sion, a Terra de Israel.O movimento tomou uma nova forma no século XIX, quando o nacionalismo moderno, o liberalismo e a emancipação forçaram os judeus a enfrentar novas questões, às quais o sionista tentou dar uma resposta. O movimento Chibat Tzion começou a se amalgamar na segunda metade do século XIX, mas a mudança substancial ocorreu mais tarde, quando a ação energética de Teodoro Herzl consolidou o sionismo em movimento político, com a convocação do Primeiro Congresso Sionista em 1897. Herzl foi o primeiro a despertar a atenção da opinião pública mundial. O movimento sionista, que se desenvolveu a partir de sua iniciativa, criou também os instrumentos organizacionais, políticos e econômicos que possibilitaram a implementação de sua visão ideológica.

                           Theodor Herzl


Século XX - 2 de novembro de 1917:  em plena Primeira Guerra Mundial, a declaração do ministro britânico promete ao povo judeu o apoio do Reino Unido quanto ao “estabelecimento, na Palestina, de um lar nacional” - ( Declaração Balfour). Ele empregará “todos os esforços para facilitar a realização desse objetivo, estando bem claro que nada será feito que possa ferir os direitos civis e religiosos das comunidades não judias existentes na Palestina”.Antes dessa declaração, os judeus não dispõem de nenhum estabelecimento oficial no mundo que ofereça a seu povo uma segurança.A partir dessa declaração, torna-se possível obter um estabelecimento oficial e fortalecê-lo até que se transforme em uma nação independente e soberana.



1947- Partilha da Palestina em dois Estados : um para os judeus e outro para os palestinos.-A porção judia teria 14 mil quilômetros e para os palestinos, a área seria bem menor: 11.500 quilômetros. Outro ponto a ser destaca é que a cidade de Jerusalém , localizada no interior da Cisjordânia, teria status internacional. A partilha feita pela ONU entre palestinos e os judeus, desencadeou inúmeros protestos por parte da comunidade muçulmana , por todo o Oriente Médio.A partir desta divisão as coisas iriam se “esquentar” na região.

14 de Maio de 1948 : Criação do Estado de Israel em 14 de maio de 1948, fato este que iria gerar um grande desconforto na região.A criação do Estado de Israel , o que colocaria os palestinos em pé de guerra com os judeus. Neste caso, os palestinos levaram a pior e acabaram sem nenhum país e ficaram dispersos pelos países vizinhos, entre eles a Jordânia, ou confinados em regiões pobres de Israel. Em 1948, o povo judeu retoma o caráter de unidade após a criação do estado de Israel.

            O mundo árabe não aprovando a criação do Estado de Israel tentam impedir que o fato se consumasse, porém , o poder bélico de Israel levou o país a vitória.



Os livros sagrados , rituais e símbolos judaicos: 

A Torá ou Pentateuco, de acordo com os judeus, é considerado o livro sagrado que foi revelado diretamente por Deus. Fazem parte da Torá : Gênesis, o Êxodo, o Levítico, os Números e o Deuteronômio. O Talmude é o livro que reúne muitas tradições orais e é dividido em quatro livros: Mishnah, Targumin, Midrashim e Comentários( Gemará, comentários dessas leis, feitos pelos rabinos, em aramaico).

O judaísmo tem como crença principal a existência de um único Deus, criador de todo o universo. Seus templos chaman-se Sinagogas, seus líderes espirituais são chamados Rabbis ou Rabinos.




CRISTIANISMO:



O cristianismo é uma das chamadas grandes religiões monoteistas.  Tem aproximadamente 2 bilhões de seguidores em todo o mundo, incluindo católicos, ortodoxos e protestantes. Cristianismo vem da palavra Cristo, que significa messias, pessoa consagrada, ungida. Do hebraico mashiah (o salvador) foi traduzida para o grego como khristos e para o latim como christus.

Sua doutrina baseia-se na crença de que todo o ser humano é eterno, a exemplo de Cristo, que ressuscitou após sua morte. A fé cristã ensina que a vida presente é uma caminhada e que a morte é uma passagem para uma vida eterna e feliz para todos os que seguirem os ensinamentos de Cristo.Os ensinamentos estão contidos exclusivamente na Bíblia, dividida entre o Antigo e o Novo Testamento.

O Antigo Testamento trata da lei judaica, ou Torah. Começa com relatos da criação e é todo permeado pela promessa de que Deus, revelado a Abraão, a Moisés e aos profetas enviaria à Terra seu próprio filho como Messias, o salvador.
O Novo Testamento contém os ensinamentos de Cristo, escritos por seus seguidores. Os principais são os quatro evangelhos (“mensagem”, “boa nova”), escritas pelos apóstolos Mateus, Marcos, Lucas e João. Também inclui os Atos dos Apóstolos (cartas e ensinamentos que foram passados de boca em boca no início da era cristã, com destaque para as cartas de Paulo) e o Apocalipse.


Século I - Foi no governo de Otávio Augusto que nasceu Jesus Cristo. Ele peregrinou por vários lugares , espalhando suas crenças. O cristianismo veio então, como uma forma de libertação, não só espiritual mas também em forma de libertação da situação injusta imposta pela sociedade e por isso houve muitas perseguições, após o século III, ocorreu a conversão do então imperador romano Constantino.A religião cristã surgiu a partir da doutrina dos homens que seguiram Jesus Cristo. Jesus foi um judeu que nasceu e morreu na região onde atualmente se situam a Jordânia e Israel, no Oriente Médio, território sob o domínio dos romanos no século 1.


No início alguns judeus acreditaram que Jesus fosse o messias, ou seja, o enviado de  Deus para redimir a humanidade, de que falavam seus textos sagrados, por outro lado, outros judeus não aceitavam a possibilidade de Jesus ser o filho encarnado de Deus. Assim, as autoridades judaicas passaram a persegui-lo. Segundo os registros deixados por seus discípulos - que depois foram a base para a segunda parte do livro sagrado dos cristãos, a Bíblia - Jesus foi morto na cruz pelos seus perseguidores e teria ressuscitado, demonstrando seu poder divino. Essa crença no messias foi, portanto, alimentada para além da morte de Jesus e veio a se constituir numa religião.

Década de 50 dC : Os seguidores de Cristo, seus apóstolos (discípulos), como Pedro e Paulo, na década de 50 d.C. espalharam os ensinamentos e as histórias sobre Jesus em Roma e na Europa.


313 Dc:  no ano de 313 dC, o próprio imperador Constantino converteu-se ao cristianismo e permitiu o culto dessa religião em todo o Império(Edito de Milão). Oitenta anos mais tarde, a história inverteu-se completamente.



325 dC : em 325, o imperador Constantino havia promovido um encontro em Nicéa com autoridades eclesiásticas para definir as principais crenças e normas que deveriam nortear a conduta dos cristãos. Esse acordo foi chamado de Concílio de Nicéa e foi uma marco na constituição da religião católica.  Depois desse processo, a Igreja católica foi consolidando o nome que resume os seus objetivos: Igreja católica apostólica romana. Assim, ficou definido que essa instituição representa uma assembleia (igreja), seguidora dos apóstolos de Cristo (apostólica), com sede em Roma (romana), que deveria espalhar a fé para todo o universo (católica significa universal).

391 dC:  a partir desse ano o o cristianismo não só se tornou a religião oficial de Roma, como todas as outras religiões pagãs passaram a ser perseguidas.



Século 4 dC: A partir do momento em que o Império resolveu tornar a religião cristã oficial para os romanos e todos os povos por eles dominados no século 4, a Igreja cristã começou ganhar força, como uma instituição poderosa.

455 dC: Os patriarcas ou bispos do cristianismo estavam espalhados pelo Império Romano em várias cidades: Alexandria, Jerusalém, Antioquia, Constantinopla e Roma. Segundo ordenou o imperador em 455, o patriarca de Roma passou a ser, a partir de então, a autoridade máxima de Igreja, sob a denominação de papa.

IDADE MÉDIA: a consolidação definitiva do poder dessa Igreja iria se dar nos séculos seguintes, a partir da Idade Média, que se inicia no século 5. O Império Carolíngeo (séculos 8 a 9) e o feudalismo (principalmente séculos 8 a 11) proporcionariam espaço econômico e poder político para a Igreja Católica se constituir na principal instituição medieval.



Final do século XV e início do XVI: tem início a  revolta protestante que teve o seu ápice com Martinho Lutero, que separou-se de Roma e fundou sua Igreja. Varias outras igreja foram surgindo ate aos dias de hoje.é importante que destaquemos o fato que durante a Idade Média a Igreja Católica se tornou muito mais poderosa, interferindo nas decisões políticas e juntando altas somas em dinheiro e terras apoiada pelo  sistema feudal.Assim, ela se distanciava de seus ensinamentos e caía em grandes contradições. chegando mesmo a vender indulgências (o que seria o motivo direto da contestação de Martinho Lutero, que deflagrou a Reforma Protestante propriamente dita), ou seja, a Igreja pregava que qualquer cristão poderia comprar o perdão por seus pecados.



A Bíblia

O livro sagrado dos cristãos pode ser dividido em duas partes: Antigo e Novo Testamento. A primeira parte conta a criação do mundo,da  história , as tradições judaicas, as leis, a vida dos profetas e a vinda do Messias. No Novo Testamento, escrito após a morte de Jesus,  fala sobre a vida do Messias, principalmente. 



ISLAMISMO OU MUÇULMANISMO:






            O Islamismo teve sua origem com Maomé.Em sua tentativa de pregar suas idéias,  Maomé sozinho não conseguiu converter o povo de Meca para o Islamismo e acabou sendo expulso da cidade indo para Medina. Esse fato ficou conhecido como Hégira (a fuga), é o marco no calendário muçulmano  ficando estabelecido como o Ano 1. As revelações feitas à Maomé pelo anjo Gabriel são o embalsamento do texto do Alcorão, o livro sagrado dos muçulmanos  O Alcorão trata, ainda, de diversos aspectos da vida.Prevê comportamento sociais, incluindo a maneira de se vestir.

            Depois da expulsão de Maomé de Meca (no ano de 622), ele conseguiu o apoio dos comerciantes locais e a ajuda seguiu o apoio dos beduínos para voltar e conquistar Meca. Maomé em pouco tempo dominou Meca e converteu todos os povos da Península Arábica ao Islamismo que proporcionou a unificação dos povos. Em 632, Maomé morreu deixando o mundo árabe unificado politicamente e agrupado em torno da religião Islâmica.

            A religião muçulmana ou Islamismo não é nova, tem aproximadamente 1500 anos, e é tão antiga quando o cristianismo. Hoje cerca de 1,35 bilhão de pessoas são convertidos a essa religião e o islamismo é a religião que mais cresce. Cerca de 70% dos intelectuais que se convertem a uma crença, escolham o islamismo. Praticamente em todos os países do mundo existem muçulmanos.
Na mapa podemos observar os países onde a               maioria da população é muçulmana.

O Islamismo é uma verdade que Deus revelou ao profeta Mohammad (Maomé), não é somente uma que além de religião é um sistema de vida completo.


570 dC : Nasce, em Meca, o profeta Mohammad (Maomé)

595 dC: Mohammad (Maomé) se casa com Khadija



611 dC: O profeta começa a receber a revelação do Corão
 
622 Dc: Data que marca a Hégira (exílio, em árabe), início do calendário islâmico. Dose anos após ter visto o Anjo Gabriel e lhe anunciar que fora escolhido por Deus para ser seu último profeta. Mohammad deixa sua cidade natal, Meca, onde a crença era politeísta e contra os ensinamentos islâmicos. Ele parte para Medina, cidade onde ergue a primeira Mesquita. 


 
630:Os discípulos do profeta conquistam Meca e Maomé retorna à sua terra.

632-634: (califado de Abu Bakr) - Mohammad, que não tinha filho homens, morre sem   deixar herdeiros. É sucedido por Abu Bakr, que comanda a expansão do Islâmica por toda a península árabe, Síria, Palestina e Pérsia. Após sua morte é sucedido por Omar Ibn al Kahattab, que conquista o sul do Iraque e também o Egito. 



634-644: califado de Umar, o segundo sucessor; 

1915 :Otomanos massacram cerca de 1 milhão de armênios na Primeira Guerra  Mundial.

1916 :Revolta árabe liderada pelo britânico Lawrence da Arábia força os otomanos à retirada na Arábia.

1917 :França e Inglaterra dividem a região do Oriente Médio com a retirada otomana na primeira Guerra Mundial

1923 :Turquia se transforma em uma República com Mustafá Kernal Ataturk.

1928 :Fundada a Irmandade Muçulmana, primeiro grupo extremista



CULTURA ,CRENÇAS E MITOS ISLÂMICOS:

-O livro sagrado os muçulmanos é o  Alcorão (Qur´ãn), que contém a última mensagem revelado por Deus à humanidade.

-Os muçulmanos acreditam em um único Deus; nos Anjos; nos profetas que trouxeram revelações de Deus a humanidade; no fim do mundo; no juízo final, onde todos prestarão contas de seus atos a Deus. Deus tem autoridade no destino do homem e na sua morte.
 
-Os profetas que os muçulmanos creem serem portadores das revelações de Deus são; Adão, Noé, Abraão, Ismael, Isaac, Jacó, José, Jó, Moisés, Arão, Davi, Salomão Elias, Jonas, João Batista e Jesus Cristo. O último profeta de Deus é "Mohammad", que revelou as verdades de Deus por intermédio do Anjo Gabriel.

-O termo "Islam" (em árabe) significa "submissão", "rendição", "entrega", que é derivada de uma outra palavra que significa paz. No sentido religioso, Islam, significa "total submissão à vontade de Deus".

-A palavra "Alah" em árabe designa Deus. Os católicos nas missas em árabes usa esta palavra, assim como protestantes (igrejas evangélicas) em seus cultos árabes, usam a palavra Alah quando se referem a Deus.

-É considerado "Muçulmano" todo  aquele que faz ou pratica o Islã (Islam).

-No Islamismo é proibido o consumo de carne de porco, drogas (produtos que causam dependências), O consumo de bebida deve ser saudável e é uma obrigação levar a vida saudável.

-Para os muçulmanos esta vida é uma provação para uma próxima vida no reino de Deus.

-O mundo islâmico  na idade média foi o centro das pesquisas científicas, e destacou-se no desenvolvimento da matemática, arquitetura, astronomia, navegação, medicina. Os árabes introduziram o papel na Europa e inventaram o arco ogival, sem o qual os europeus cristãos não poderiam construir as catedrais góticas. Enviaram o damasco, açúcar e arroz para a Europa.

-Na matemática, os números romanos, de difícil manuseio para cálculos, foram substituídas pelos algarismos arábicos (1,2,3,4,5,6,7,8 e 9) que são usados até hoje pela maioria dos países do mundo.

-Os povos também se notificaram pela introdução na Europa, a ideia hindu do zero, e a ideia de arranjarem os números no sistema decimal.




Professor KLÉBER


.


Nenhum comentário:

Postar um comentário