quarta-feira, 11 de abril de 2012

ENTENDA A PRIMAVERA ÁRABE





ENTENDA A PRIMAVERA ÁRABE



A Primavera Árabe teve sua gênese na Tunísia,sendo um legítimo movimento popular iniciado da base para o ápice da pirâmide de poder. É um movimento de populações oprimidas por governos que ao longo de décadas atenderam aos interesses imperialistas e mantiveram um silencio forçado a custa de muita opressão política e da formação de verdadeiros estados policialescos.

O movimento é fruto da insatisfação popular com Estados que nunca abriram espaço para manifestações de descontentamentos sociais e menos ainda canais reais de participação política para seus cidadãos.

Quando o jovem tunisiano Mohamed Bouazizi ateou fogo ao próprio corpo, simbolicamente, não protestou apenas contra a apreensão de suas mercadorias ou da falta de perspectivas de vida, que atinge a maioria dos jovens do mundo árabe, mas demonstrou ao mundo que aquela medida extrema era um grito de desespero frente a uma realidade muito mais ampla, de um contexto em que a auto – imolação foi a única forma de se fazer ouvir, mesmo que a custa da própria vida.O seu gesto não passou despercebido, e o mundo assistiu a mais extraordinária sequência de  manifestações em vários países do mundo árabe,onde qualquer pessoa em sã consciência, jamais imaginaria que tudo o que aconteceu e ainda está acontecendo poderia chegar onde chegou.

O mais impressionante de toda a Primavera e que talvez nem todos saibam é qual foi o estopim de todo o movimento.Tudo começou por causa de uma única pessoa, um jovem vendedor de frutas tunisiano de 26 anos. Chamava-se Mohamed Bouazizi. Ele não era nenhum revolucionário, nem podia imaginar a dimensão que sua auto-imolação iria tomar.Vendia frutas ilegalmente em uma praça, na pequena cidade de Sidi Bouzid, trabalho que aqui no Brasil chamamos de 'camelô'. A polícia há muitos anos cobrava propina para deixá-lo trabalhar. 
No dia 17 de dezembro de 2010, ele havia resolvido que não iria mais dar seu dinheiro para policiais corruptos. Quando se recusou a pagar, confiscaram seu carrinho de frutas. Ele tentou argumentar, e como resposta uma funcionária municipal lhe deu um tapa na cara e cuspiu nele no meio da praça. 
             Compare os dois atos extremos em momentos diferentes da história   


Inconformado com a situação,Bouazizi  foi até a sede do governo para tentar reaver seu carrinho, suas frutas e dar queixa da funcionária do Estado que havia lhe agredido. O governador se recusou a recebê-lo. Ele então saiu do prédio, foi até um posto de gasolina próximo e voltou. No meio do trânsito gritou "como vocês querem que eu viva desse jeito?". Jogou combustível em si mesmo e acendeu um fósforo. Eram 11h30 da manhã.

Mohamed foi internado com 90% do corpo queimado, e sua históra começou a circular na Tunísia. Virou o representante de um povo humilhado por 23 anos de ditadura e repressão. Indignado, o povo foi às ruas, e por mais de duas semanas enfrentou a polícia em diversas cidades do país. Quando morreu, no dia 4 de janeiro de 2011, 18 dias depois, virou um mártir. A revolução já havia explodido. No dia 14 de janeiro o então presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, foi obrigado a deixar o poder e fugir para Arábia Saudita. 

É incrível pensarmos que tudo começou com um vendedor de frutas de 26 anos, numa cidadezinha do interior da Tunísia, que só queria trabalhar mas acabou mudando o mundo...





I-POR QUE O  NOME PRIMAVERA ÁRABE?

Em outros momentos históricos da humanidade movimentos de rebelião concatenados, varreram também governos opressores, porém cada um deles deve ser entendido dentro de seu contexto, foi o caso das Independências na América Espanhola (primeira metade do século XIX), a Primavera dos Povos (1848), a Primavera de Praga (1968) e o fim do socialismo no leste europeu.  


II-PRINCIPAIS MOTIVOS DA PRIMAVERA ÁRABE:

      Altos índices de desemprego na região

• Crise econômica
• Pouca ou nenhuma representação política da população
• Ditaduras
• Pouca liberdade de expressão

III-QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA PRIMAVERA ÁRABE?

• Movimentos de caráter laico (inicialmente)
• Liberalizantes
• Pró-democracia
• Populares

IV-O QUE FEZ DO MOVIMENTO ALGO INOVADOR?

• Uso de redes sociais na organização dos protestos
• Facebook
• Twitter
• Participação da rede de TV Al Jazeera, na cobertura dos
movimentos;
• Uso, pelos regimes em crise, de sistemas de telefonia
celular para a delação dos envolvidos nos protestos

V-A HERANÇA NEOCOLONIAL DO  MOVIMENTO:

·      A Primavera Árabe também tem suas bases mais antigas, na dominação imperialista e neocolonialista da Região, pelas potências europeias.
• A França, na sua dominação no Saara marcou o “desmantelamento das províncias árabes do Império Otomano”
• Com a Inglaterra, a França atuou no controle do Canal de Suez, no Egito
• Alemanha e Itália, após suas unificações, também partiram à conquista
·      “Na Palestina, quando da declaração de Balfour foi integrada à carta do mandato – apesar dos fortes protestos árabes -, a Grã-Bretanha confrontou-se com graves contradições que a interpretação sutil da declaração não conseguiria mais atenuar” (Revista Dossiê 06)
• A herança colonialista desorganizou o mundo árabe, fragmentando-o em estados instáveis.

VI- ONDE TUDO COMEÇOU?

O estopim da Primavera Árabe,    foi a autoimolação, na Tunísia, de Mohamed Bouazizi fato que, logo  após, foi seguido das primeiras manifestações.Os protestos promoveram uma Revolução que derrubou o regime de Ben Ali

VII- QUAIS OS OUTROS PAÍSES ENVOLVIDOS NA PRIMAVERA ÁRABE?

          Após a Tunísia, foram verificados levantes na/em:

• Argélia (governada até hoje sob estado de Emergência)
• Líbia (Ditadura de Muammar Khadafi)
• Jordânia
• Iêmen (Presidente Saleh é ferido gravemente)
• Arábia Saudita
• Líbano
• Egito (então governado por Hosni Mubarak)
• Síria (O governo de Bashar al-Assad promove dura repressão)
• Também houve revoltas na Palestina, Omã, Mauritânia, Marrocos, Djibuti, Barein, Iraque e Kuwait

VIII-AS DIVERGÊNCIAS INTERNAS DO ISLÃ

Antes de mais nada, vale a regra: “Nem todo muçulmano é árabe, e nem todo árabe é muçulmano”
·                             Ao contrário do que se pode supor, o Islã não é uma unidade.
·                             Como outras religiões, também o Islamismo possui diferentes correntes
·                      Os Sunitas compreendem a maioria do mundo muçulmano, compreendendo algo próximo a 84% do total.Aceitam não apenas o Corão como livro sagrado, mas também a Sunna
·         Os Xiitas são o segundo maior ramo do Islã.
·         Países que tem a maior parte da população Xiita: Irã, Iraque, Azerbaijão e Bahrein
·         Os Xiitas consideram apenas o Corão como livro sagrado do Islã. São considerados apóstatas pelos Sunitas
·         Os Kharijitas respondem pela menor parte do mundo islâmico. Defendiam que qualquer homem, mesmo um escravo, poderia ser um Califa. Foram bastante populares entre os Beduínos.
·         Os Salafistas (Salafismo)- Foi um movimento reformista, islâmico, surgido no século XIX no Egito

IX-COMO ESTÃO SENDO CONFIGURADAS AS MUDANÇAS DA PRIMAVERA ÁRABE?


Nenhum comentário:

Postar um comentário